sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Trick or treating?



Hoje, alguns países de origem anglo-saxônica como EUA, Irlanda, Canadá, País de Gales e Inglaterra, comemoram o tradicional Dia das Bruxas. Eu, particularmente, acho essa comemoração extremamente interessante, ao passo que no ano passado, fui convidado a assistir um exemplar da festa (uma verdadeira). No começo, achei tudo muito estranho, pois fomos até um parque de Curitiba no qual há uma trilha no meio do mato. Ao chegarmos ao lugar, comecei a ficar com medo, pois todos estavam vestidos de preto, acenderam velas por todos os lados e começaram a Cerimônia. No final das contas, achei tudo extremamente bonito, pois a única coisa que eles fazem, é reverenciar a natureza; lugar em que, segundo eles, estão as bruxas, fadas, gnomos e afins. Foi uma experiência bem gratificante e, embora eu não siga a linha de raciocínio deles, acho o Halloween uma festa muito charmosa.

Dito isto, quero ressaltar que não sou fã do gênero terror. Mas como hoje é um dia especial, quero fazer um breve comentário sobre um material deste gênero que ficou marcado na minha memória para sempre. Estou falando do filme O Exorcista, do diretor William Friedkin. Antes de divagar sobre a obra, vou contar uma história:

Certa vez, uma mulher grávida de oito meses se aventurou a assistir O Exorcista pela primeira vez. Apesar de tê-lo achado um belíssimo exemplar do gênero, ficou chocada ao extremo com a carga do filme. Ficou sem dormir algumas noites por causa dele e, quando menos esperou, entrou em trabalho de parto forçadamente. Nasce, então, o bebê um pouco antes do tempo por que sua mãe ficou horrorizada com O Exorcista. Para a minha (in)felicidade, este bebê sou eu!

Depois dessa passagem real, digo que só fui me arriscar neste filme há uns dois anos atrás. Confesso achar que seria algo bem light, visto que era um filme de terror antigo e tudo mais. Minha mãe deve ter passado tanto medo quando viu a fita durante a gravidez, que este sentimento refletiu em mim. Jamais senti tanto pavor durante um filme, quanto da vez que vi O Exorcista. À cada possessão de Linda Blair, eu fechava os olhos com a mão. Pior! Fiquei estatizado quando gira o pescoço 360º, ou na cena em que faz aquela barbaridade com a Cruz... eu não estou sendo exagerado ao dizer que, este longa foi o primeiro à tirar-me várias noites de sono. Nunca mais quero vê-lo novamente. Não por ser ruim; sendo crítico, devo admitir que Linda e Ellen estão magníficas. A direção de William é muito preciosa e ouso dizer que é a segunda melhor direção daquele ano. Muitos outros filmes sobre possessões demoníacas vieram, mas nenhum tão marcante e assustador quanto este. Há uns anos, lançaram O Exorcismo de Emily Rose o qual, a meu ver, é excelente (incluindo a extraordinária atuação de Jennifer Carpenter), mas não está no mesmo nível de O Exorcista. E faço questão em frisar que, esta fita, marcou-me de forma ímpar.


Agora é com você: qual o filme de terror que o fez roer as unhas e gritar de pavor?

18 comentários:

Robson Saldanha disse...

Kau, e se eu disser que eu nunca vi O Exorcista? Tenho vontade ver mas não tenho coragem de ver sozinho! hehehe Quanto ao Haloween, eu acho super interessante e minha maior vontade é ver de perto lá nos EUA, que é onde a tradição é forte. O filme que me fez tremer de medo foi O Grito, pode nem parecer mas fiquei muito assustado!! heheheh

Nespoli disse...

Cara, eu acho que você tem toda a razão, e o filme mais assustador de todos os tempos e sempre será O Exorcista...

Kau Oliveira disse...

Robson, eu não gostei de O Grito e confesso que dei boas risadas no filme, hahahaha. E, de fato, eu também não tive coragem de ver O Exorcista sozinho.

Nespoli, acho difícil mesmo aparecer um filme mais assustador.

Romeika disse...

Nossa, coitado, pegou o trauma as vesperas do parto na barriga da mae! Na certa vc nao ia crescer pra amar filmes de terror.. Eu tb nao sou louca por esse tipo de fita, e nao lembro de um filme que tenha me feito perder noites de sono (talvez quando crianca), mas me assustei bastante com alguns filmes do Shyamalan (O Sexto Sentido, por exemplo), e "Os Outros" do Amenabar, enfim, qualquer coisa de sobrenatural/espiritos no meio geralmente me assusta. Nao eh terror, eh suspense, mas enfim.

Ah, lembrei! "A Bruxa de Blair" rsrsrsrs.. Tive muito medo na epoca.

Hugo disse...

Kau, sou fã de terror já tendo assistido muita coisa, mas "O Exorcista" mesmo depois de 35 anos continua apavorante. É um tipo de filme que não envelhece. Sem dúvida é um dos melhores filmes de terror da história.

Abraço

cinefilapornatureza disse...

Kau, não me chame de ufanista, mas acho que não tem nada a ver comemorarmos o Halloween, já que isto não tem a cara da cultura brasileira.

Quanto aos filmes de terror e suspense: não sou a maior fã do gênero, mas alguns filmes me marcaram e me deixaram com muito medo: "Ritual Macabro", "O Exorcista" e, mais recentemente, "O Nevoeiro".

Bom final de semana!

Kau Oliveira disse...

Romeika, poor me. O trauma passou de mãe para filho, de fato! As Bruxas de Blair é um filme realmente apavorante e Os Outros é, sem dúvida, um dos filmes mais surpreendentes que já vi.

Hugo, concordo! Abraços.

Kami, eu concordo com você. O que aconteceu, na verdade, é que tenho uma amiga que diz ser bruxa e por isso fazem o ritual. Só resolvi escrever algo sobre o Halloween para poder ter uma "desculpa" e falar sobre O Exorcista. Entretanto, não vou mentir: acho a festa bem charmosa. Bom fds pra vc tb!

Pedro Henrique disse...

O único filme de terror que me deixa nervoso é o melhor de todos, "O Exorcista".

Abraço!!!

Kau Oliveira disse...

Pedrão, acho que isso é unânime! Abraços.

Vinícius P. disse...

Essa época deve ser muito divertida mesmo para quem a acompanha, seria ótimo se tivesse por aqui também. E adoro "O Exorcista", é um excelente filme mesmo. Um que me assustou bastante foi "A Bruxa de Blair", até porque vi sozinho de madrugada.

THIAGO PAULO disse...

Olá, pois é eu também adoro Coldplay, Snow Patrol, porém, minha banda preferida e U2, que foi responsável pela minha transição, sabe?!

Cara, tenho um medo do Exorcista, aliás, tenho medo de tudo que envolva demônoios.:(

Até...

Kau Oliveira disse...

Vinícius, eu JAMAIS me arriscaria à ver estes filmes fortes de madrugada, hahahaha.

Thiago, eu gosto de U2. Mas não sou fã.... Também tenho um pé atrás com filmes de demônios. Até mais!

Sérgio Déda disse...

Assisti O Exorcista quando era bem guri e de fato fiquei com muito medo uns tempos depois hehehehhe

Vulgo Dudu disse...

Cara, eu sou fã daqueles filmes de terror antigos, que era bom ver na adolescência, juntando a molecada! As meninas cheias de almofadas pra tapar o rosto!

Desses, os clássicos são Cemitério maldito, Sexta-feira 13, A hora do pesadelo, Colheita maldita etc.

Um filme que me incomodou bastante eu não lembro o nome... Até cacei há um tempo, mas não achei. Se alguém aqui souber, o roteiro era assim: um sujeito rico, almofadinha, que seduzia as mulheres e as levava para sua mansão. Lá ele apagava as moçoilas e amarrava todas elas no porão. Para se divertir, ele tinha um lança-chamas, e queimava geral! Era tosco, mas eu vi numa noite num hotel fazenda quando tinha 12 anos... Ou seja, faz tempo...

Abs!

Kau Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kau Oliveira disse...

Sergio, exatamente!

Dudu, não sei que filme é esse, infelizmente. Os que citaste são clássicos mesmo e outro que gosto pra caramba é Poltergeist. Abs!

Cecilia Barroso disse...

Eu nunca fiquei exatamente com medo dos filmes de terror. Aliás, como diz o Robson, sou uma quase viciada no gênero. Hehehehe.
Quando vi O Exorcista, já tinha lido o livro mas apesar de assustar em algumas cenas, não fiquei com medo.
O Iluminado me deixou bem agoniada. Principalmente com aquele barulho do triciclo no chão do hotel.
Mas, para falar a verdade, fiquei com medo de O Chamado. Hehehe.
Assisti ao filme achando tudo ridículo e mal feito, mas na hora de fechar os olhos na cama, só ficava vendo as cenas da tal fita. Hahahahaha.
Acho que é isso. O Chamado!

Kau disse...

Cecília, eu detestei O Chamado, mas o suspense que o filme promove é genuíno DEMAIS!! Bjos.