quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Especial Oscar, Parte II: 2008

Antes de tudo quero pedir licença e descumprir algo que havia prometido. Amanhã, quinta-feira, seria dia de postar o Especial das Adaptações (Parte III), mas estou muito atrasado com as listas do Oscar e, principalmente, com a lista do Globo de Ouro, que postarei semana que vem. Então, resolvi, excepcionalmente amanhã, não postar o Especial destinado aos livros, mas sim dar continuidade ao material sobre o Oscar.

Então, chegou a vez de postar a segunda lista referente aos Oscar’s anteriores. Desta vez, vou citar e comentar sobre os meus preferidos na última edição e a próxima lista que soltarei será com as primeiras apostas ao Academy Awards 2009.

Ano: 2008

Melhor Filme: Sangue Negro, O Escafandro e a Borboleta, Na Natureza Selvagem, Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto, O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford.

Conduta de Risco nem entrou no meu top 20; Juno é inteligente e simpático, mas perdeu o reinado; Desejo e Reparação, apesar de levar uma nota alta (8,5) e ter uma parte técnica impecável, possui um certo erro na adaptação (pelo menos pra mim) e a dupla principal (Keira e James) não fazem nada de incrível. O complexo, bruto e inteligente filme dos Coen ficou na sexta posição, mas isso não significa que não tenha merecido o Oscar. Devo ser sincero e dizer, sem exageros, que Sangue Negro é o melhor filme desta década, por enquanto. O longa é ousado, possui uma técnica magnífica, um roteiro milimetricamente bem adaptado e um elenco de primeiro escalão. Dentre os demais indicados, destaco a sensibilidade de Na Natureza Selvagem, o belíssimo roteiro de Kelly Masterson para o filme de Lumet, a originalidade de Jesse James e a excêntrica direção de Schnabel em O Escafandro e a Broboleta.

Melhor Diretor: Paul Thomas Anderson (Sangue Negro), Julian Schnabel (O Escafandro e a Borboleta), Sidney Lumet (Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto), Todd Haynes (Não Estou Lá), Joel e Ethan Coen (Onde os Fracos Não Têm Vez).

Até entendo a indicação de Tony Gilroy, uma vez que o filme tinha um buzz enorme e era o queridinho por ter um elenco conhecido. Mas não consigo processar a idéia de Reitman estar dentre os cinco, mesmo sabendo que Juno necessitava de uma direção correta e cautelosa. Perderam, obviamente, as suas vagas para os magistrais trabalhos de Lumet e Haynes. Este último, inclusive, é um diretor muito interessante, já que conseguiu inserir genialidade em dois trabalhos extremamente diferentes em sua carreira (Não Estou Lá e Longe do Paraíso).

Melhor Atriz: Marion Cotillard (Piaf – Um Hino ao Amor), Julie Christie (Longe Dela), Amy Adams (Encantada), Nicole Kidman (Margot e o Casamento), Keri Russell (Garçonete).

O que Marion faz em Piaf – Um Hino ao Amor é esplêndido; muito mais que um tour de force. Julie Christie muitos desdenharam argumentando que seu personagem era fácil. Discordo, já que interpretar uma mulher apaixonada pelo marido e pela vida e que se vê com Alzheimer, é dificílimo. E as outras três? Bom, Laura Linney e Cate Blanchett entraram no meu top 10 (ambas muito bem). Já Ellen Page, contrariando todo mundo, fez muito mais em MeninaMá.com, pelo menos pra mim. Ela está natural em Juno, mas acho que simplesmente foi ela; uma atuação boa, mas não incrível. Amy Adams, outra mal falada, está fantástica em Encantada. Aqui, talvez, está o trabalho mais complexo daquela temporada. Nicole também brilha no interessante, mas irregular, Margot e o Casamento (uma bela atuação, do tipo “contida”). Para falar de Keri, devo citar meu amigo Louis que fez-me assistir Garçonete. Obrigado, buddy!! O filme é bem bonitinho, e a garota brilha deixando o resto em segundo plano.

Melhor Ator: Daniel Day-Lewis (Sangue Negro), Ryan Gosling (Lars e a Garota Real), John Cusack (Grace is Gone), Gordon Pinsent (Longe Dela), Tommy Lee Jones (No Vale das Sombras).

Aqui também nem tem o que discutir: Day-Lewis monstruoso em outra atuação visceral no ano. Não gosto nem de pensar nas exclusões de Ryan, John e Gordon. Gosling dá uma aula de sensibilidade e genialidade em Lars e a Garota Real (o segundo melhor ator do ano); Cusack teve sua indicação prejudicada pela má recepção do filme que, a meu ver, é tão excelente quanto sua bela atuação; e Gordon que não faz feio e também dá um verdadeiro show em Longe Dela. No Vale das Sombras foi um filme difícil, pra mim. Tudo por culpa do desempenho de Tommy: impecável. Um homem cansado e que se vê sem o filho, morto na guerra. Clooney foi bem (obrigado), mas nada demais; Depp me irritou naquele discutível musical; e Viggo não faz nada além de falar com sotaque e apagar o cigarro na língua.

Melhor Atriz Coadjuvante: Cate Blanchett (Não Estou Lá), Jennifer Garner (Juno), Saoirse Ronan (Desejo e Reparação), Jennifer Jason Leigh (Margot e o Casamento), Tilda Swinton (Conduta de Risco).


Melhor Ator Coadjuvante: Paul Dano (Sangue Negro), Javier Bardem (Onde os Fracos Não Têm Vez), Casey Affleck (O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford), Hal Holbroock (Na Natureza Selvagem), Philip Seymour Hoffman (Jogos do Poder).




Melhor Roteiro Original: Nancy Oliver (Lars e a Garota Real), Diablo Cody (Juno), James C. Strouse (Grace is Gone), Kelly Masterson (Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto), Brad Bird (Ratatouille).




Melhor Roteiro Adaptado: Paul Thomas Anderson (Sangue Negro), Joel e Ethan Coen (Onde os Fracos Não Têm Vez), Ronald Harwood (O Escafandro e a Borboleta), Sean Penn (Na Natureza Selvagem), Sarah Polley (Longe Dela).




Melhor Filme Estrangeiro: 4 Meses, 3 Semanas, 2 Dias (Romênia), A Classe (Estônia), Katyn (Polônia), O Orfanato (Espanha), A Desconhecida (Itália).

14 comentários:

Vinícius P. disse...

"Sangue Negro" é mesmo excepcional e gostei de vê-lo como destaque nas principais categorias, foi meu favorito do ano passado - e "Onde os Fracos Não Têm Vez" também não estaria no meu top 5.

Kau disse...

Vinícius, extamente. Mas, como eu disse, a vitória de Onde os Fracos Não Têm Vez foi uma das mais justas em anos. É paradoxal essa minha fala (já que nem o coloco entre os 5), mas é o que eu penso.

Pedro Henrique disse...

Onde Os Fracos Não Têm Vez é um filme excepcionalmente bem dirigido. Não é mais filme que Sangue Negro, mas os Coen mereceram o Oscar de diretor. Ator coadjuvante, por exemplo, fico com Bardem. Roteiro adaptado também vai para os irmãos. Concordo com atriz coadjuvante!

Abs!!!

Mayara Bastos disse...

Olá, Kau! Tdo bem?

Gostei muito de sua lista, boa parte são dos meus "rascunhos" de apostas! rsrs. Vi "Sangue Negro" ontem e ele é sem palavras mesmo. Junto com "Desejo e Reparação", ele era merecedor mesmo!

Fique bem, beijos e obrigado pelos parabéns! ;)

Vulgo Dudu disse...

Ficou muito bacana o banner com o still de Sangue Negro, de fato um filmaço! E eu adorei Lars and the real girl, que passou despercebido por aqui.

Abs!

Robson Saldanha disse...

Coonduta de Risco jamais entraria no meu top 20. Amo Desejo e Reparação e Juno é bom mas não necessariamente deve ficar na lista. Também acho que o filme dos Coen não merecia ter ganho apesar de muito bom, e so nao vi Sangue Negro ainda. Marion mereceu muito o Oscar, ela foi um dos mais merecidos dos ultimos anos pra mim. Cate Blanchett está fantástica em Não Estou Lá, mas Javier deveria mesmo ter ficado com o prêmio de Ator Coadjuvante.

Boa Lista!

Kau disse...

Pedrão, como eu disse o filme dos Coen é excelente e mereceu as indicações em roteiro e direção. Mas acho tudo em Sangue Negro perfeito: desde sua adaptação até a parte técnica. O livro "Oil" é dificílimo e só um excelente roteirista e diretor para transformá-lo em filme. Bardem é unanimidade, mas pra mim Dano está impressionante. Complexo, muito complexo seu personagem. O espanhol era minha segunda opção. Abraços!!

Mayara, tudo bem e vc?
Que bom que vc gostou do filme de PTA!! E Atonement é muito bom, mas como eu disse, tive problemas com o roteiro. Disponha o parabéns! Bjos.

Dudu, sem a menor dúvida, Lars e a Garota Real e Grace is Gone foram os filmes mais esnobados da última temporada. Abraços!

Robson, os meus problemas com Atonement residem no seu roteiro. O livro não é sobre o amor entre os personagens de James e Keira, mas sim sobre a vida de Briony. Tenta viajar pela mente da menina e nos apresentar todo o dejedo de ser perdoada. O filme, porém, não colocou isso 100% em enfoque.

cinefilapornatureza disse...

Kau, adorei a sua lista de melhores de 2008. Ainda não conferi filmes como "Grace is Gone" e "Lars and the Real Girl", mas imagino que sejam ótimos mesmo. No mais, adorei ver Gordon Pinsent listado como Melhor Ator. A performance dele, em "Longe Dela", é maravilhosa e merecia ter sido reconhecida.

Portal de Cinema disse...

Parabéns pelo site.
Quando puder de uma passadinha também no www.portaldecinema.com.br
Abraço

Kau disse...

Kami, obrigado. Devo pedir para que assista aos dois filmes, quando puder. Lars é muito original e Grace extremamente emocionante.

"Representante do Portal Cine" (hahahahahaha, não sei seu nome, então permita-me chamá-lo assim), obrigado. Acabei de entrar no site e é excelente. Abraços!

cinevita disse...

Ótimo ver Sangue Negro reinando! É o melhor filme mesmo e ponto. Seguido dele, eu colocaria Desejo e Reparação, suntuoso até a alma e que me emocionou demais. Depois seria Onde os Fracos Não Têm Vez, soberbo! Em seguida, viria Zodíaco, uma aula de como se fazer cinema. E no quinto, o comovente Na Natureza Selvagem, realmente muito sensível.

Direção daria para PTA mesmo, com todos os méritos.
Ator, óbvio, para DDL, extraordinário!
Atriz fica com Cottilard, maravilhosamente submersa.
Ator Coadjuvante já seria um duelo de cravos sangrento. Não sei qual escolhia entre Bardem, Dano e Affleck, em Jesse James. Todos magníficos.
Atriz Coadjuvante eu escolheria mesmo a querida e incontestável senhorita Blanchett. Mas com Saiorsie Ronan loog atrás...
Roteiro Original eu deixo nas mãos de Ratatouille (ou Juno...ou Conduta de Risco)
E Adaptado, claro, com Sangue Negro e PTA.

Ciao!

Kau disse...

Wally, achei Sangue Negro tão impressionante que saí do cinema com dor de cabeça, hahahahahaha. Entre os coadjuvantes masculinos, acho que quatro poderiam vencer na boa: Dano, Bardem, Casey e Hal (nesta ordem). Philip está ótimo em Jogos do Poder, mas um tantinho abaixo destes. Saoirse era minha terceira opção, mas tb estava excelente. Na verdade, acho que tanto ela quanto Garai estavam incríveis como Briony. Roteiro original... Conduta de Risco é interessante, mas haviam melhores. Abraços!

Pedro Henrique disse...

Kau e Wally, eu tô achando que vocês precisam ler Onde Os Velhos Não Têm Vez. Aí, na comparação com o filme dos Coen, devem constatar qual foi a melhor adaptação.

Abs!

Kau disse...

Pedrão, pode ser mesmo. Eu estou lendo O Menino do Pijama Listrado e o próximo da lista é Onde os Fracos..., pode ficar tranquilo! Abração!