terça-feira, 4 de novembro de 2008

Estamos Bem Mesmo Sem Você


Estava pronto para escrever um texto sobre o filme italiano Gomorra que consegui assistir por esses dias. No entanto, mudei de idéia ao assistir, ontem, a um conterrâneo dele; o elogiadíssimo Estamos Bem Mesmo Sem Você. A premissa do longa pode até ser batida, uma vez que é fixada num complicado e sensível ambiente familiar. Kim Rossi Stuart estrela o filme (além de roteirizá-lo e dirigi-lo) como o pai que cria os dois filhos sozinho, já que a mãe (Barbora Bobulova) abandonou a família. Na verdade, ela não foi embora de casa para sempre: quando já estão acostumados com a idéia de tê-la perdido, retorna para casa. O roteiro quer nos mostrar que, de fato, eles estão bem mesmo sem a presença da mãe. Entretanto, a sua nuvem não se dissipa, e o tempo inteiro Renato (o pai) parece ansiar pelo retorno da esposa.

Esta história, na realidade, gira em torno de Tommi (Alessandro Morace) que é o filho mais novo. É difícil para alguém tão jovem entender o porquê de várias coisas, como por exemplo, o comportamento rude, mas ao mesmo tempo amoroso do seu pai – aqui, tentando encobrir as “indas e vindas” da esposa. Além disso, sofre com as brincadeiras de mau gosto que considera erradas por parte de sua irmã (Marta Nobili). Mas a angústia do menino chega ao auge quando a sua mãe, depois de muito tempo, aparece em casa e o pai, compadecido, dá a ela mais uma chance. Tommi, contudo, sabe que a recaída sentimental da mãe não vai durar, e que ela os abandonará de novo. Obviamente, isso ocorre e tudo vira um verdadeiro caos a ponto de Renato expulsar o pequeno Tommi de casa, num ato de desespero. Fica, então, evidente que o maior sofredor nesse embate é o garoto. O longa, no fundo, trata do seu amadurecimento - o peso de uma família disfuncional nos ombros de um jovem em formação.

Os únicos problemas que tive com a fita remetem à falta de ritmo no segundo ato e ao excesso de melodrama (uma cena ou outra são tão fortes, que somos quase obrigados a derramar lágrimas). Kim Rossi, além de ter dirigido com competência, atua de forma singular. Para ser sincero, todo o elenco é fenomenal e não ouso destacar somente um. Mentira! Eu preciso colocar o jovem Alessandro em evidência, já que nos presenteia a cada cena (em especial, a que lê a carta que sua mãe o manda já no final do filme). A trilha sonora é bem simpática, apesar de no primeiro ato me lembrar a de Pequena Miss Sunshine. No geral, é uma fita que tem como tema algo que, aparentemente, não é original. Mas no desenrolar da trama, vai ficando extremamente intensa pela grande quantidade de momentos dramáticos, ministrados por quatro pessoas que compõem um elenco muito inspirado.


Nota: 8,5


Anche Libero va Bene; Itália, 2006; Drama; de Kim Rossi Stuart; Com: Kim Rossi Stuart, Barbora Bobulova, Alessandro Morace, Marta Nobili.

13 comentários:

Hypist Orchid disse...

oh my my!! i saw that movie some months ago and couldn't remembered its name, well that's simply a "chef d'oeuvre", and the acting is amazingly realistic. that movie really touched me, lol!
btw that's a really nice blog u have! :)

Kau disse...

Hypist, não acho que o filme seja uma obra-prima. Mas, como eu disse, é um belo exempar muito realista! Obrigado pelo elogio ao blog!

cinefilapornatureza disse...

Ainda não tinha ouvido falar deste filme. Parece ser interessante. Só achava que você iria dar uma nota menor à obra, já que citou o aspecto que mais o incomodou em "Estamos Bem Mesmo Sem Você".

Hugo disse...

Este tipo de drama é uma especialidade do cinema italiano, como por exemplo os filmes de Nanni Moretti.
Este aqui eu não conhecia.

Abraço

Violinista do Cinema disse...

Ah parece ser um bom filme Kau! Espero que tenha a mesma impressao que vc teve!
bjoooo

Kau disse...

Kami, o filme só peca no ritmo e na tentativa de incluir uma grande quantidade de melodrama. No fim das contas, ele é muito bom.

Hugo, também adoro a densidade do cinema italiano. Nanni é excelente e seu melhor filme, pra mim, é O Quarto Filho. Abraços!

Vivi, acho que você vai adoror esta fita!! Bjos querida!

Robson Saldanha disse...

Não vi... mas fiquei curioso!

Museu do Cinema disse...

PUTS, dois filmes aqui que tô doidasso para ver e vc viu os dois e ainda escolhe!

Kau disse...

Robson, vale a pena.

Cassiano, nem isso vai acontecer, hahahahaha. Sou muito ruim em "conseguir" ver filmes que ainda não estrearam, se é que me entende. "Gomorra" vi na casa de um amigo (a crítica sai amanhã) e este "Estamos Bem Mesmo Sem Você" está em cartaz no Telecine Cult. Se tiver, corre lá ver a programação.

cinevita disse...

Esse filme me foi indicado e, depois destes seus comentários, fiquei ainda mais convencido de que preciso vê-lo mesmo...

Ciao!

Sérgio Déda disse...

Adoro quase tudo que vem do cinema italiano, e este filme parece lembrar muito os longas do Moretti... adoro O Quarto do Filho...

vlws

Alyson Xyzyx disse...

Pelo o que escreveu parece ser muito bonito mesmo. Gosto de filmes envolvendo crianças nesses tipos de situações. Tanto que sou fãzaço de outro filme italiano chamado "Eu não tenho medo". Ja viu? Se não,veja sim, tenho certeza que irá gostar.

Abraços!

Kau disse...

Wally, quem indicou-o a você tem bom gosto. =)

Sergio, acho até que Kim Rossi Stuart se deixou influenciar por Moretti.

Alyson, não vi este filme. Mas uma amiga está aqui ao lado dizendo que é lindíssimo!! Está anotado...

Abraços!